A Internet das Coisas

A Internet das Coisas

Todos sabemos que o mundo está ficando mais e mais conectado a cada segundo. Um bom exemplo deste fenômeno é o advento da Internet das Coisas — ou, como é mais conhecida mundialmente, IoT (do inglês Internet of Things). A IoT consiste simplesmente na conexão de objetos da vida cotidiana à Internet. Por exemplo, seu relógio, carro, geladeira, óculos, ou mesmo suas roupas.

A essa hora, talvez você se pergunte como isso é possível. A ideia é bem simples, e para entendê-la melhor vamos relembrar a história da computação. Nos anos 1940, quando os primeiros computadores surgiram, eles eram tão grandes que ocupavam salas inteiras e consumiam energia suficiente para alimentar toda uma cidade. Conforme os anos se passaram, os computadores diminuiram de tamanho e passaram a caber nas nossas mesas, bolsos, e na palma da nossa mão. Para ter uma ideia, o processador do iPhone 6 é 120 Bilhões de vezes mais rápido do que o computador da nave espacial Apollo 11 [1], que levou o homem à lua! Isso sem falar que ele cabe no seu bolso e é muito mais barato.

Toda essa miniaturização e baratização dos computadores permitiu que novos usos fossem explorados. Eles passaram a ser embutidos em carros, relógios, portas, geladeiras, enfim, qualquer tipo de objeto. Eles permitiram que estes objetos, ou coisas, ficassem mais inteligentes, e capazes de facilitar a nossa vida. O último passo foi conectá-los à Internet. E para fazer isso, basta usar um chip Bluetooth, Wi-Fi ou LoraWAN, por exemplo. Como estes chips também ficaram muito baratos e pequenos, conectar as coisas à Internet ficou fácil.

Assim, ao se embutir computadores minúsculos dentro das coisas do dia-a-dia, e conectá-los à Internet, surgiu a Internet das Coisas! Como este conceito vem sendo amplamente adotado pela indústria nos últimos anos, especialistas já sugerem que até 2020 a IoT deverá movimentar um mercado de mais de duzentos bilhões de dólares [2]. O mundo conectado que conhecemos está apenas começando, e a Internet das Coisas irá criar oportunidades de conexão que ainda sequer imaginamos.

E aí, já pensou em criar suas próprias coisas na Internet? A Let’s Code ensina duas das linguagens mais usadas para programar para a IoT, que são C e Python. Entre em contato conosco.

[1] http://www.zmescience.com/research/technology/smartphone-power-compared-to-apollo-432/
[2] https://www.forbes.com/sites/louiscolumbus/2017/01/29/internet-of-things-market-to-reach-267b-by-2020/#25c63e5a609b