Gamificação

Gamificação consiste no uso de elementos e técnicas de design de jogos no contexto não-jogo para envolver os usuários na solução de problemas, de acordo com Werbach Kevin, Zichermann, Huotari e Deterding.
A Nike construiu um conjunto de aplicações em torno desse sistema que fez o ato de correr transformar-se num jogo. Esse dispositivo foi chamado de Nike Plus e tem algumas funções que informa o quanto você correu e o tempo que foi gasto para isso; a média de corrida que o usuário fez na semana e o dia que ele mais correu. Também é possível estabelecer metas e desafios e se você for bem-sucedido receberá um troféu ou uma medalha virtual.
A aplicação se parece muito com um jogo. A Nike ainda incluiu várias outras possibilidades, como competir com os amigos ou receber incentivos deles, tornando o comportamento de correr mais rico e gratificante.
Outro exemplo de sucesso pode ser encontrado no projeto Mozilla Open Badges. O ato de aprender hoje acontece em todos os lugares, não apenas em sala de aula. Porém, muitas vezes é difícil obter o reconhecimento de habilidades e realizações que acontecem fora da escola.
O projeto trabalha para resolver esse problema, tornando mais fácil para que todos possam emitir, ganhar e exibir emblemas na web de tarefas ou conhecimento alcançados. Eles buscam ajudar pessoas de todas as idades a ganhar e mostrar suas habilidades do século 21. Nesse projeto os emblemas não ficam mais restritos a um sistema privado, mas sim aberto na web como é apresentado na figura abaixo:

 

A principal estratégia da gamificação é conhecida pelas siglas PBL (Points, Badges e Leaderboards) de acordo com Werbach Kevin, descritas a seguir:

  • Recompensas (badges): são indicações visuais de realizações de tarefas. As recompensas são representadas por emblemas flexíveis. Eles determinam o que é importante no jogo e apoiam a coleção, incentivando ao preenchimento do “álbum”. Os badges são considerados importantes símbolos de status, por viabilizar aos usuários emblemas que os diferenciam dos demais.
  • Pontos (points): são uma forma de manter a contagem e determinar o progresso de cada usuário no jogo. Além disso, os pontos servem como parâmetro para os designers aperfeiçoarem o sistema. Pontos podem ser integrados com recompensas (badges) ou podem ser uma moeda universal.
  • Quadros de líder (leaderboards): é o ranking que diz exatamente onde você está em relação as outras pessoas que estão jogando. Eles são uma forma de feedback específico sobre a competição. São vistos em praticamente todos os tipos de jogos eletrônicos. Porém, há um perigo e um desafio nesse elemento. Se você vir que a pontuação de seu adversário está muito distante, pode ser desmotivador. Uma solução para esse problema é personalizar os leaderboards, introduzindo o conceito de variante do “amigo-parente”, ao invés de mostrar todo o quadro de líder. Assim, você vê apenas os jogadores que tem a pontuação próxima e/ou que estão ligados socialmente com você.

Werbach Kevin ressalta que é importante utilizar mais elementos de gamificação, não se restringindo apenas aos três elementos vistos anteriormente. Dessa forma, seu sistema ficará muito mais interessante e menos superficial.

Gostou do artigo e quer aprender mais sobre tecnologia? Conheça melhor os nossos cursos aqui.