Em quem você vai votar? Ciência de dados na política


No dia 7 de outubro ocorrerão as eleições no Brasil, com um cenário político extremamente conturbado. Eleitores devem fazer diversas análises antes de escolher seu candidato. No entanto, o que poucas pessoas sabem é que algumas iniciativas em ciências de dados podem ajudar em sua escolha!

Com a Lei de Acesso à Informação, o Brasil ganhou uma boa cultura de divulgação dos dados públicos, o que fez o país alcançar o 8º lugar no ranking mundial de dados abertos. No site dados.gov, conseguimos acessar dados sobre gastos públicos, saúde, educação e até mesmo acidentes aéreos.

Porém, divulgá-los não é suficiente para que o público tenha conhecimento sobre seu conteúdo. Muitos desses dados não estão estruturados, sendo difícil interpretá-los ou estão em diferentes formatos, que muitas vezes não nos permite observá-los sem programas específicos. É necessário um grande conhecimento em computação para extrair informações valiosas.

Desvendar esses dados e extrair informações úteis de modo amigável para usuários é a missão do brasil.io. Eles buscam tornar acessíveis os dados brasileiros de interesse público, permitido que pessoas com pouco conhecimento em ciências da computação tenham acesso aos dados e consigam tirar suas próprias conclusões. Essa ferramenta pode ser muito utilizada no jornalismo ou para curiosos sobre o andamento da gestão pública.

Legal! Mas como tudo isso pode me ajudar a escolher meu candidato? Com a estruturação dos dados, uma análise se torna mais simples e permite o uso para diversos fins. Os casos de corrupção no governo são um exemplo claro de aplicação. Este é o objetivo da Operação Serenata de Amor, uma iniciativa que cruza dados de gastos de políticos e utiliza de técnicas de aprendizado de máquina para identificar gastos suspeitos entre deputados e senadores. Os resultados são demonstrados de maneira simples através do Jarbas, um dashboard online, o qual inclui um chatbot que envia mensagens para o Twitter do político quando um reembolso suspeito é encontrado.

Essas iniciativas comprovam como a ciências de dados pode ajudar a melhorar o cenário político do país, tentando encontrar casos de corrupção ou munir a população com informações sobre seus políticos e respectivos gastos. Outra vantagem dessas iniciativas é que ambas são open source, ou seja, qualquer um pode ver seu código e ajudá-los com novas funcionalidades ou correção de bugs.

Achou a tecnologia interessante? A Let’s Code oferece cursos de ciências de dados e aprendizado de máquina, usando as mesmas linguagens e ferramentas implementadas nas iniciativas descritas.