Singularity

“Isso é tão Black Mirror!”, essa já uma frase presente nas nossas conversas do dia a dia quando o assunto é avanço tecnológico. A ficção sempre se mostrou a frente de seu tempo quando o assunto é “adivinhar o futuro”, Back to the Future (1985), The Terminator (1984), Matrix (1999), são exemplos de como as pessoas imaginaram o futuro. Talvez tenham acertado, ou talvez não, bem ainda temos tempo para descobrir. Mas o ponto é, será mesmo que essas coisas de filmes e séries podem realmente acontecer? Bem, do ponto de vista político-tecnológico, sim.

 

Quando falamos de avanço tecnológico sempre vem em mente coisas que podem mudar drasticamente nosso jeito de viver, como carro voadores, robôs, teletransporte, e por aí vai. Mas se pararmos para pensar, o que temos hoje em dia, a dez anos atrás seria uma coisa quase inimaginável. Conversar com o celular? Transportes compartilhados? Programação como uma diretriz fundamental na aprendizagem? Uma IA que controla sua rotina, seu sono, seus lugares visitados? Temos tudo isso, e muito mais, mas levamos essas coisas com uma tranquilidade que já faz parte de nossa rotina. “Tá, mas e daí? A tecnologia evolui e a gente também. Evolução sempre aconteceu.” Sim, sempre aconteceu! Mas a quantidade de informação e dados que geramos são enormes! Como mostrado aqui, consumimos em média 34 gigabytes de informação por (wait for it…) dia! Uma criança de 8 anos de idade tem acesso a mais informações do que quem viveu o século passado inteiro, e isso é “natural”.

 

“Você tá falando de informação e tals, mas, e os carros voadores?” Calma, a gente já chega lá. Então, temos toda essa informação, se cruzarmos alguns dados com outros, geramos  mais informação, e mais, e mais. É um ciclo constante, é assim que surge o aprendizado e o avanço da tecnologia. Oferta, demanda, oportunidade, são coisas essenciais para isso acontecer. E quando tivermos as informações certas, com os dados corretos, a mágica acontece. E de uma forma tão natural que nem percebemos o impacto de uma vez, só com o tempo. Um exemplo disso, bem básico, é a Netflix, aquele serviço de streaming famoso que, com certeza você já ouviu falar ou até mesmo assina. Bem, anos atrás, tínhamos que nos deslocar até as locadoras para assistirmos os lançamentos de filmes e séries, e era normal, alugava o filme pelo final de semana, corria pra devolver na segunda pra não pagar multa, colocava seu nome na fila de espera para assistir aquele lançamento depois… E assim foi por muito tempo. Mas aí tiveram uma ideia, e se entregássemos os filmes na casa da pessoa, e para devolver, ela só depositaria o DVDno correio, e aí, o mesmo já ia para a  casa da outra pessoa. BUM! Netflix! Agora, um pouco mais além, e se a pessoa nem tivesse que sair de casa, ou usar o DVD… BUM! Serviço de streaming! Oferta, demanda e oportunidade. Deu pra entender? 

 

Beleza, agora já sabemos que se temos informações, e se, sabemos usá-las a modo que consigamos extrair mais informações, surgem oportunidades. “Cadê os carros voadores?” Quase lá. Existe uma organização chamada Singularity University (que apesar do nome, não é uma universidade). Essa organização é formada por um grupo de colaboradores, como a Google e a Deloitte, para estudos de inovação. O seu co-fundador, dr. Peter H. Diamandis, fez uma lista de previsões para os próximos 20 anos. Não é somente uma lista de processos tecnológicos, mas também, como tais processos afetam o campo político-social. Esta lista foi divulgada em 2018 e pode ser acessada por completo aqui. Esse estudo, como dito, interpreta o meio de como utilizamos as informações e também como seria se estivéssemos progredindo gradualmente em um ritmo constante. A lista é extensa, vou citar somente algumas coisinhas por aqui.

  • 2018
    • Inteligência artificial emotiva – A emoção será incorporada em interfaces de conversação com IA. Será socialmente aceitável gritar com raiva para a Alexa e ela responder algo como: “Por favor, não grite comigo, isso magoou meus sentimentos.”

 

  • 2019
    • Diagnóstico médico baseado em inteligência artificial – Diagnósticos médicos baseados em IA e recomendações de terapia já são usados na maioria dos serviços de saúde dos EUA.
    • Carros voadores começam a operar em algumas cidades do mundo (AQUI!!!)

 

  • 2022
    • Carros Autônomos – As pessoas poderão viajar legalmente em carros autônomos por todo o EUA.
    • Robôs entendem o contexto da fala suficientemente bem para interagir com os humanos como recepcionistas, assistentes de lojas de varejo e balconistas.

 

  • 2024
    • Energia limpa – Construir sistemas de energia solar e/ou eólica será mais barato do que carvão ou gás em 90% do planeta.
    • A luta contra o carvão – China e Índia anunciam o fechamento de centenas de usinas de carvão.
    •  Inteligência Artificial no currículo – Conhecimento em inteligência artificial é um requisito para a maioria dos trabalhos

 

  • 2026
    • Meu carro – Ter o seu próprio carro já não faz mais sentido e os carros autônomos dominam as ruas.
    • Todo mundo conectado – 8 milhões de pessoas estarão conectadas com velocidades acima de 500 Mbps. Nas regiões mais pobres do planeta, tablets estarão disponíveis gratuitamente por meio de um cadastro.

 

  • 2028
    • Eu, robô – Os robôs terão relações reais com as pessoas, dando suporte nos cuidados na velhice, higiene pessoal e a preparação de alimentos.
    • Energia limpa – Energia solar e eólica representam quase 100% da eletricidade da nova geração. A demanda mundial por petróleo atinge o pico e dá sinais de queda.

 

  • 2030
    • O fim do Teste de Turing – A inteligência artificial passa no Teste de Turing, o que significa se igualar (ou extrapolar) a inteligência humana em diversas áreas.
    • Aniversário de 200 anos – A humanidade alcança a “Velocidade de Escape da Longevidade” para os mais ricos.
    • CO2 Free – As emissões de carbono caem rapidamente a cada ano. Um plano global para zerar as emissões de carbono até 2050 é assinado.
    • IA Criativa: Sistemas alimentados por inteligência artificial fornecem soluções criativas para problemas em praticamente todas as áreas.

 

  • 2032
    • Nanorobôs médicos – Dispositivos microscópicos entenderão nosso sistema imunológico.
    • Novos corpos – Avatares robóticos se tornam populares, permitindo que todos tenham a capacidade de “teletransportar” sua consciência para qualquer lugar no mundo.
    • Robôs por todos os lados – Robôs são comuns em todos os locais de trabalho, eliminando o trabalho manual e com interações repetitivas (por exemplo: recepcionistas, guias turísticos, motoristas e trabalhadores da construção civil).

 

  • 2034
    • Cérebro na nuvem – Empresas como a Kernel concluem conexões confiáveis entre o córtex humano e a nuvem.
    •  Resolvendo problemas singulares: Muitos desafios, como o câncer e a pobreza, estarão erradicados.

 

  • 2036
    • Longevidade – Tratamentos de longevidade são rotineiros e cobertos por apólices de seguro de vida, estendendo a vida útil em 30 a 40 anos.

 

  • 2038
    • Uma nova vida – A vida cotidiana é irreconhecível. Incrivelmente boa, a realidade virtual e a inteligência artificial estão presentes em todos os momentos da vida humana.

 

UFA! Muita coisa pode acontecer, e essas foram algumas que achei interessante. “Nossa, mas isso tá muito bom, nada de ruim parece que vai acontecer…” Peraí, não é bem assim, isso daí pode acontecer num mundo ideal, mas ainda somos humanos, e cometemos erros. Muitos, por sinal. Apesar de serem extremamente otimistas, essas são apenas suposições baseadas em estudo. Na prática, seu carro voador pode demorar a aparecer (desculpa!). É bem difícil de saber como as coisas vão acontecer. 

 

Para te ajudar a entender as coisas com um olhar mais real, recomendo a série “Years and Years” (2019), produzida pela HBO. A série se inicia em 2019 e vai contando uma história ao longo do tempo durante 15 anos. Apesar de ficcional, a obra consegue mostrar de uma maneira que chega a ser incômoda como os três pilares, político, social e tecnológico, vão se conversando ao longo dos anos e quais são as consequências disso. 

 

É isso, a troca de informação e a evolução são caminhos naturais para a humanidade. Como isso vai acontecer, ninguém tem certeza. Sempre esperamos o melhor. Mas temos que crescer e evoluir no mesmo ritmo, buscar informações, estudar e investigar tudo. Aprender como vamos nos comunicar com as máquinas, como a inteligência artificial vai, e já está, mudando nosso estilo de vida. É sempre um desafio ficar atento a tudo e a todo momento. Por isso, sempre tente acompanhar e crescer junto com o ambiente que te cerca. Informação é poder, informação é evolução.

 

Referências: